Ordem de Culto

Boas vindas e anúncios

Chamada de adoração

Números 21:4-9

4Então, partiram do monte Hor, pelo caminho do mar Vermelho, a rodear a terra de Edom, porém o povo se tornou impaciente no caminho. 5E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil. 6Então, o Senhor mandou entre o povo serpentes abrasadoras, que mordiam o povo; e morreram muitos do povo de Israel. 7Veio o povo a Moisés e disse: Havemos pecado, porque temos falado contra o Senhor e contra ti; ora ao Senhor que tire de nós as serpentes. Então, Moisés orou pelo povo. 8Disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente abrasadora, põe-na sobre uma haste, e será que todo mordido que a mirar viverá. 9Fez Moisés uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste; sendo alguém mordido por alguma serpente, se olhava para a de bronze, sarava.

Oração invocatória

Leitura

Salmo 38

1Não me repreendas, Senhor, na tua ira, nem me castigues no teu furor. 2Cravam-se em mim as tuas setas, e a tua mão recai sobre mim. 3Não há parte sã na minha carne, por causa da tua indignação; não há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado. 4Pois já se elevam acima de minha cabeça as minhas iniquidades; como fardos pesados, excedem as minhas forças. 5Tornam-se infectas e purulentas as minhas chagas, por causa da minha loucura. 6Sinto-me encurvado e sobremodo abatido, ando de luto o dia todo. 7Ardem-me os lombos, e não há parte sã na minha carne. 8Estou aflito e mui quebrantado; dou gemidos por efeito do desassossego do meu coração. 9Na tua presença, Senhor, estão os meus desejos todos, e a minha ansiedade não te é oculta. 10Bate-me excitado o coração, faltam-me as forças, e a luz dos meus olhos, essa mesma já não está comigo. 11Os meus amigos e companheiros afastam-se da minha praga, e os meus parentes ficam de longe. 12Armam ciladas contra mim os que tramam tirar-me a vida; os que me procuram fazer o mal dizem coisas perniciosas e imaginam engano todo o dia. 13Mas eu, como surdo, não ouço e, qual mudo, não abro a boca. 14Sou, com efeito, como quem não ouve e em cujos lábios não há réplica. 15Pois em ti, Senhor, espero; tu me atenderás, Senhor, Deus meu. 16Porque eu dizia: Não suceda que se alegrem de mim e contra mim se engrandeçam quando me resvala o pé. 17Pois estou prestes a tropeçar; a minha dor está sempre perante mim. 18Confesso a minha iniquidade; suporto tristeza por causa do meu pecado. 19Mas os meus inimigos são vigorosos e fortes, e são muitos os que sem causa me odeiam. 20Da mesma sorte, os que pagam o mal pelo bem são meus adversários, porque eu sigo o que é bom. 21Não me desampares, Senhor ; Deus meu, não te ausentes de mim. 22Apressa-te em socorrer-me, Senhor, salvação minha.

Oração congregacional

(Oração adaptada de orações de Spurgeon)

Senhor, salva os não convertidos e tira, pedimos-Te, de entre eles os que se converteram, mas que ainda não confessaram Cristo. Que a Igreja seja edificada por muitos que, tendo crido, sejam baptizados no nome sagrado. Nós Te pedimos que continues e multipliques os fiéis na terra.

Oh! que Tu voltes os corações dos homens para o Evangelho mais uma vez. Os Teus servos estão muitas vezes com os corações muito pesados por causa dos afastamentos da fé. Trazei-os de volta. Que Satanás não leve mais estrelas com a sua cauda, mas que os nódulos de Deus brilhem. Tu, que andas entre os sete castiçais de ouro, apara a chama, derrama o óleo e deixa a luz brilhar clara e firmemente.

Pedimos em nome de Jesus Cristo Teu Filho. Amém.

Dedicação de dízimos e ofertas

Leitura

Efésios 2:4-10

4Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, 5e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos, 6e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; 7para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. 8Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9não de obras, para que ninguém se glorie. 10Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

Oração intercessória pastoral

Pastor Tyler Morehart

Pregação expositiva

Pastor Tyler Morehart

I Samuel 28

1Sucedeu, naqueles dias, que, juntando os filisteus os seus exércitos para a peleja, para fazer guerra contra Israel, disse Aquis a Davi: Fica sabendo que comigo sairás à peleja, tu e os teus homens. 2Então, disse Davi a Aquis: Assim saberás quanto pode o teu servo fazer. Disse Aquis a Davi: Por isso, te farei minha guarda pessoal para sempre. 3Já Samuel era morto, e todo o Israel o tinha chorado e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos. 4Ajuntaram-se os filisteus e vieram acampar-se em Suném; ajuntou Saul a todo o Israel, e se acamparam em Gilboa. 5Vendo Saul o acampamento dos filisteus, foi tomado de medo, e muito se estremeceu o seu coração. 6Consultou Saul ao Senhor, porém o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. 7Então, disse Saul aos seus servos: Apontai-me uma mulher que seja médium, para que me encontre com ela e a consulte. Disseram-lhe os seus servos: Há uma mulher em En-Dor que é médium. 8Saul disfarçou-se, vestiu outras roupas e se foi, e com ele, dois homens, e, de noite, chegaram à mulher; e lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela necromancia e me faças subir aquele que eu te disser. 9Respondeu-lhe a mulher: Bem sabes o que fez Saul, como eliminou da terra os médiuns e adivinhos; por que, pois, me armas cilada à minha vida, para me matares? 10Então, Saul lhe jurou pelo Senhor, dizendo: Tão certo como vive o Senhor, nenhum castigo te sobrevirá por isso. 11Então, lhe disse a mulher: Quem te farei subir? Respondeu ele: Faze-me subir Samuel. 12Vendo a mulher a Samuel, gritou em alta voz; e a mulher disse a Saul: Por que me enganaste? Pois tu mesmo és Saul. 13Respondeu-lhe o rei: Não temas; que vês? Então, a mulher respondeu a Saul: Vejo um deus que sobe da terra. 14Perguntou ele: Como é a sua figura? Respondeu ela: Vem subindo um ancião e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra e se prostrou. 15Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? Então, disse Saul: Mui angustiado estou, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se desviou de mim e já não me responde, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso, te chamei para que me reveles o que devo fazer. 16Então, disse Samuel: Por que, pois, a mim me perguntas, visto que o Senhor te desamparou e se fez teu inimigo? 17Porque o Senhor fez para contigo como, por meu intermédio, ele te dissera; tirou o reino da tua mão e o deu ao teu companheiro Davi. 18Como tu não deste ouvidos à voz do Senhor e não executaste o que ele, no furor da sua ira, ordenou contra Amaleque, por isso, o Senhor te fez, hoje, isto. 19O Senhor entregará também a Israel contigo nas mãos dos filisteus, e, amanhã, tu e teus filhos estareis comigo; e o acampamento de Israel o Senhor entregará nas mãos dos filisteus. 20De súbito, caiu Saul estendido por terra e foi tomado de grande medo por causa das palavras de Samuel; e faltavam-lhe as forças, porque não comera pão todo aquele dia e toda aquela noite. 21Aproximou-se de Saul a mulher e, vendo-o assaz perturbado, disse-lhe: Eis que a tua serva deu ouvidos à tua voz, e, arriscando a minha vida, atendi às palavras que me falaste. 22Agora, pois, ouve também tu as palavras da tua serva e permite que eu ponha um bocado de pão diante de ti; come, para que tenhas forças e te ponhas a caminho. 23Porém ele o recusou e disse: Não comerei. Mas os seus servos e a mulher o constrangeram; e atendeu. Levantou-se do chão e se assentou no leito. 24Tinha a mulher em casa um bezerro cevado; apressou-se e matou-o, e, tomando farinha, a amassou, e a cozeu em bolos asmos. 25E os trouxe diante de Saul e de seus servos, e comeram. Depois, se levantaram e se foram naquela mesma noite.

Benção apostólica